SVA e SCM: um guia fiscal e jurídico para Provedores de Internet

SVA e SCM: um guia fiscal e jurídico para Provedores de Internet

O mundo das telecomunicações está sempre mudando e para quem trabalha neste setor, é muito importante entender as leis e os impostos envolvidos. Entender toda a legislação é especialmente importante para as empresas que fornecem internet, que precisam lidar com muitas regras e termos técnicos. Se essas regras não forem bem entendidas, a empresa pode ter problemas sérios, como multas e punições.

Existem dois conceitos importantes no setor: os Serviços de Valor Agregado (SVA) e os Serviços de Comunicação Multimídia (SCM). Para um ISP, entender a diferença entre eles é essencial, pois cada um tem regras diferentes de impostos e leis que devem ser seguidas para evitar problemas.

Neste artigo, vamos explicar de forma simples a diferença entre SVA e SCM, por que essa diferença é importante e como as empresas de internet podem fazer para seguir as regras corretamente. Vamos te guiar por diversas informações importantes, para evitar problemas legais e fiscais, a fim de que você possa se concentrar no mais importante: oferecer um ótimo serviço aos seus clientes.

Vamos começar?

O que é Serviço de Comunicação Multimídia (SCM)?

O Serviço de Comunicação Multimídia (SCM) é a modalidade de serviço que permite a oferta de capacidade de transmissão, emissão e recepção de informações multimídia, permitindo a comunicação bidirecional, como, por exemplo, o serviço de acesso à internet. O SCM é regulamentado no Brasil pela Resolução nº 614/2013 da ANATEL, que estabelece as condições de prestação desse serviço no país.

Os SCMs são classificados como serviços de telecomunicações. Portanto, as empresas que fornecem SCM são consideradas prestadoras de serviço de telecomunicações e devem seguir um conjunto diferente de obrigações jurídicas e regulatórias, que incluem a obtenção de uma autorização da ANATEL para fornecer o serviço e a manutenção de um nível mínimo de qualidade de serviço.

No que se refere à tributação, o SCM está sujeito a uma série de taxas e contribuições que não são aplicáveis aos SVAs. Veja abaixo as principais:

  • Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (FISTEL);
  • Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST);
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). 

Além disso, o SCM está sujeito à contribuição para o desenvolvimento da indústria cinematográfica nacional (CONDECINE).

O que são Serviços de Valor Agregado (SVA)?

Os Serviços de Valor Adicionado (SVA) são aqueles que, apoiados na rede de uma operadora de serviços de telecomunicações, oferecem aos usuários finais funcionalidades que vão além da simples transmissão, emissão e recepção de informações. 

Exemplos de SVAs incluem:

  • plataforma de cursos;
  • proteção contra vírus;
  • armazenamento em nuvem;
  • livros, jornais e revistas;
  • serviços de streaming.

No que se refere à tributação, a prestação de SVA difere da prestação de serviços de telecomunicações (SCM). O SVA não está sujeito às mesmas obrigações tributárias que os SCM. Por exemplo, os SVAs não estão sujeitos à contribuição para o Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (FISTEL) ou à contribuição para o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST). No entanto, eles estão sujeitos a impostos sobre serviços, como o ISS (Imposto Sobre Serviços).

É importante destacar que a classificação correta de um serviço como SVA pode ter implicações significativas em termos de obrigações fiscais e jurídicas para os provedores de serviços de Internet. 

Portanto, é fundamental para os provedores de Internet entenderem a diferença entre SVA e SCM. Uma compreensão precisa destes conceitos pode ajudar a evitar problemas regulatórios e fiscais e garantir que o provedor esteja em conformidade com todas as obrigações, além de, possivelmente, diminuir a carga tributária da empresa.

Comparando SVA e SCM

Embora o SVA e o SCM sejam componentes importantes na oferta de serviços de um provedor de Internet, eles possuem diferenças cruciais do ponto de vista jurídico e fiscal. 

Veja abaixo a comparação detalhada dessas diferenças.

Diferenças entre o SVA e o SCM

E o que acontece se eu não entender a diferença entre SCM e SVA?

Não compreender a diferença entre SVA e SCM pode levar a sérias consequências para os Provedores de Internet. Veja abaixo as principais implicações.

Implicações jurídicas

Como os SCMs são classificados como serviços de telecomunicações, as empresas que fornecem tais serviços devem obter autorização específica da ANATEL. O não cumprimento dessas obrigações pode resultar em penalidades, que variam desde multas até a perda da licença para operar. Além disso, a prestação de um serviço classificado como SCM sob a classificação de SVA pode ser considerada um exercício ilegal da atividade de telecomunicações.

Implicações fiscais

Cada um dos serviços (SVA e SCM) possui um regime tributário diferente. O SCM está sujeito a contribuições e taxas específicas do setor de telecomunicações, como FISTEL, FUST e CONDECINE, além do ICMS. Por outro lado, o SVA está sujeito ao ISS. 

A classificação incorreta de um serviço pode levar ao pagamento incorreto de impostos, o que pode resultar em multas e penalidades fiscais, além de fazer com que você tenha prejuízos financeiros pelo excesso de carga tributária.

Implicações operacionais

Além das consequências jurídicas e fiscais, a falta de compreensão sobre a diferença entre SVA e SCM pode levar a erros operacionais. Por exemplo, um provedor de serviços de Internet pode acabar ofertando serviços que requerem uma autorização de SCM, acreditando que esteja apenas fornecendo um SVA. E isso pode resultar em interrupções do serviço, insatisfação do cliente e potenciais ações legais.

Portanto, é crucial para qualquer provedor de serviços de Internet ter um claro entendimento da diferença entre SVA e SCM. Além de garantir a conformidade com as leis e regulamentações aplicáveis, tal entendimento pode ajudar a evitar erros operacionais e a garantir a satisfação do cliente.

E agora? O que fazer para garantir a conformidade com todas as normas?

Garantir a conformidade com as regulamentações aplicáveis a SVA e SCM é crucial para o funcionamento adequado de um provedor de internet.

Leia, a seguir, algumas dicas para garantir a conformidade.

Conhecimento e entendimento

É essencial conhecer e entender as diferenças entre SVA e SCM, assim como as leis e regulamentos que se aplicam a cada um. Portanto, você deve compreender as definições legais de cada serviço, bem como as implicações fiscais e jurídicas associadas.

Contrate uma consultoria especializada

Considerando a complexidade das leis e regulamentos de telecomunicações, pode ser benéfico buscar o aconselhamento de consultores ou advogados especializados em Direito das Telecomunicações. Eles podem fornecer orientação e conselhos para garantir que o seu negócio esteja em conformidade com todas as obrigações jurídicas e fiscais.

Faça o monitoramento regular

As leis e regulamentos do setor de telecomunicações podem mudar ao longo do tempo. Portanto, é importante monitorar regularmente as atualizações e alterações para garantir que a sua empresa continue em conformidade. Você pode assinar boletins informativos do setor, participar de seminários e webinars ou contratar serviços de monitoramento regulatório.

Realize auditorias internas

Realizar auditorias internas regulares pode ajudar a identificar quaisquer áreas de não conformidade. As auditorias podem focar em várias áreas, incluindo a classificação correta dos serviços, o pagamento adequado de impostos e a adesão às normas de qualidade de serviço.

Esteja em conformidade com as normas de qualidade

Para os SCM, a ANATEL estabelece requisitos de qualidade de serviço que devem ser cumpridos. Garantir a conformidade com esses requisitos é crucial para evitar penalidades e garantir a satisfação do cliente.

Compreender e aplicar essas estratégias pode ajudar a garantir que o seu negócio esteja em conformidade com as regulamentações aplicáveis, evitando, assim, as penalidades associadas à não conformidade. Ao mesmo tempo, isso pode ajudar a melhorar a satisfação do cliente e a reputação do seu negócio no mercado.

Conclusão

O ambiente regulatório das telecomunicações é complexo, com várias distinções importantes, como as existentes entre SVA (Serviço de Valor Adicionado) e SCM (Serviço de Comunicação Multimídia). As diferenças não são meramente terminológicas, mas possuem implicações significativas tanto do ponto de vista jurídico quanto fiscal.

Dada a complexidade dessas questões, é imperativo que os provedores de serviços de Internet busquem um profundo entendimento dessas distinções, a fim de garantir a conformidade e evitar penalidades potencialmente significativas. Isso envolve uma mistura de educação contínua, consultoria especializada, monitoramento de mudanças regulatórias e auditorias internas regulares.

Ao se manterem atualizados e em conformidade com as regulamentações, os provedores de serviços de Internet não só evitarão problemas jurídicos e fiscais, como também garantirão uma melhor experiência para seus usuários. Afinal, um entendimento preciso dos SVAs e SCMs pode levar a uma oferta de serviços mais bem adaptada às necessidades dos clientes e à evolução do mercado. Ao final do dia, o investimento em conhecimento e conformidade é também um investimento na satisfação do cliente e no sucesso a longo prazo do seu negócio.

rafaela
rafaela.brandao@mlearn.com.br


×